Os profetas se referiam ao Libertador de Israel com outras palavras: o Servo, o Conquistador Ungido, Renovo de Justiça, Renovo de Davi ou Raiz de Davi, Príncipe e Emanuel. Jesus (Yeshua) veio como o verdadeiro Messias (Mashiach, em hebraico; em Grego, Christòs). Entenda a genealogia de Jesus descrita por Mateus e Lucas.


Estudo sobre o Messias




Unção com óleo

A palavra ‘ungido’ e o ato de ungir com óleo (Mashach) referem-se ao costume de ungir com óleo para consagrar e santificar as coisas ou as pessoas: Gn 28: 18; Êx 30: 22-33; 2 Sm 1: 21; Is 21: 5; Jz 9: 8; 2 Sm 2: 4; 1 Rs 1: 34; Êx 28: 41; 1 Rs 19: 16; 2 Rs 9: 1-3; 11-13.
A pessoa ou coisa ungida se tornava santa (Êx 30: 22-33; 1 Sm 24: 6; 10).
A unção era um ato de Deus (1 Sm 10: 1; Sl 89: 20; At 10: 38).
A unção era usada metaforicamente para significar a doação do favor divino (Sl 23: 5; Sl 92: 10; Sl 45: 7) ou a nomeação para uma função especial do propósito de Deus (Sl 105: 15; Is 45: 1; Sl 89: 20; Êx 28: 41).
Além disso, a unção simbolizava capacitação para o serviço, e é associada ao derramamento do Espírito de Deus (1 Sm 10: 1; 6; 9; 1 Sm 16: 13; Is 61: 1; Zc 4: 1-14 – a unção de Deus sobre Josué e Zorobabel, o sacerdote e o governador de Judá na época da reconstrução do 2º templo – Ag 2: 21).

Esse emprego é levado até o NT. O uso do azeite para ungir os enfermos (Tg 5: 14) é entendido da mesma maneira, como algo que aponta para o Espírito Santo, o doador da vida. No NT nós podemos ver o uso do óleo ou o ato de ungir em relação a cinco situações:
1) Simbolizando o Espírito Santo trazendo a capacitação divina sobre a alguém (Lc 4: 18; At 10: 38; 2 Co 1: 21; Hb 1: 9; 1 Jo 2: 20; 27).
2) Como um ungüento, usado de forma medicinal para curar feridas (Lc 10: 34 – a parábola do bom Samaritano; Ap 3: 18 – a igreja de Laodicéia).
3) Como um costume de ungir os mortos com perfumes e especiarias (Mc 14: 8 cf. Jo 19: 39-40; Lc 23: 56; Lc 24: 1; Mc 16: 1).
4) Como um sinal de hospitalidade, associado à lavagem dos pés e ao beijo (Lc 7: 46; Jo 11: 2; Jo 12: 3).
5) Para com os enfermos (Mc 6: 13; Tg 5: 14).

Mashach (‘ungir’) dá origem a Mashiach (mâshiyach ou meshiycho, em hebraico; meshïhã, em aramaico), que quer dizer ‘ungido’, como eram os reis, juízes, profetas e sacerdotes no AT. Também passou a ser usada para Messias, משיח, o Ungido (grego: Cristo, Christòs, Χριστός), o esperado salvador ou libertador de Israel, um homem descendente do rei Davi que irá reconstruir a nação, trazendo a paz. ‘Ungido’ é encontrado no mínimo dezesseis vezes no Antigo Testamento, sendo usadas as palavras mâshiyach ou meshiycho [Lv 4: 3; Lv 4: 5; Lv 4: 16; Lv 6: 15; 1 Sm 2: 10; 1 Sm 24: 6 e 10; 2 Sm 1: 21; 2 Sm 22: 51; Sl 2: 2; Sl 18: 50; Is 45: 1; Ez 28: 14; Zc 4: 14; Dn 9: 25-26 – quando um anjo anuncia ao profeta Daniel que o Messias surgiria e seria morto 62 semanas proféticas após a reedificação de Jerusalém, antes da cidade e do templo serem novamente destruídos (o que aconteceu em 70 DC pelos romanos). No Sl 105: 14-15 e em 1 Cr 16: 22 – “A ninguém permitiu que os oprimisse; antes, por amor deles, repreendeu a reis, dizendo: Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas” – a expressão ‘meus ungidos’, em hebraico, é usada como equivalente a ‘meus profetas’]. No NT a palavra grega Μεσσίας (Messias) está registrada também apenas duas vezes: em João 1: 41 e João 4: 25. Christòs é o adjetivo, enquanto o verbo é chriõ – ungir.

O Messias

Como foi escrito acima, Messias, משיח, ‘o Ungido’, ‘o Consagrado’ (grego: o Cristo, Christòs, Χριστός), é o esperado salvador ou libertador de Israel, um homem descendente do rei Davi que irá reconstruir a nação, trazendo a paz. Essa é a visão que os Judeus (pelo menos os tradicionais) têm do Messias. Os cristãos consideram Jesus Cristo como o Messias, bem como o Filho de Deus e uma das três Pessoas da Trindade, doutrina esta que foi estabelecida no Concílio de Nicéia em 325 DC.

Como nós vimos, no Antigo Testamento a palavra específica, ‘Messias’ (משיח), aparece apenas em Dn 9: 25-26 – quando um anjo anuncia ao profeta Daniel que o Messias surgiria e seria morto 62 semanas proféticas após a reedificação de Jerusalém, antes da cidade e do templo serem novamente destruídos (o que aconteceu em 70 DC pelos romanos). Nestes versículos de Daniel, ‘Ungido’, na nossa tradução em Português está escrito com letra maiúscula:
25 “Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Ungido (mâshiyach), ao Príncipe, sete semanas e sessenta e duas semanas; as praças e as circunvalações se reedificarão, mas em tempos angustiosos”.
26 “Depois das sessenta e duas semanas, será morto o Ungido (mâshiyach) e já não estará; e o povo de um príncipe que há de vir destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será num dilúvio, e até ao fim haverá guerra; desolações são determinadas”.

No NT a palavra grega Μεσσίας (Messias) está registrada também apenas duas vezes: em João 1: 41 (quando André conta a Pedro que ele e João haviam encontrado o Messias de Israel, que era Jesus) e João 4: 25 (quando a mulher samaritana encontra Jesus assentado perto do poço de Jacó e diz a Ele que ela sabia que o Messias (que se chamava Cristo) viria e anunciaria todas as coisas ao Seu povo, sendo que Jesus confirma à mulher que Ele é o Messias esperado por Israel):
• Jo 1: 41: “Ele achou primeiro o seu próprio irmão, Simão a quem disse: Achamos o Messias (que quer dizer Cristo)”. Em grego, a palavra é messian.
• Jo 4: 25: “Eu sei, respondeu a mulher, que há de vir o Messias (Em grego, a palavra é messias), chamado Cristo (christos); quando ele vier, nos anunciará todas as coisas”.

Nos demais textos do NT, está escrita a palavra Cristo (Christòs, Χριστός):
Mt 16: 16; Mt 1: 18; Mt 16: 20; Mc 8: 29; Mc 14: 61; Lc 2: 11; 26; Lc 9: 20; Lc 22: 67; Jo 4: 29; Jo 7: 26-27; 31; Jo 9: 22; Jo 10: 24; At 2: 36; At 3: 20; At 4: 26; At 5: 42; At 9: 22; At 17: 3; At 18: 28; At 26: 23.
O mesmo ocorre com as cartas de Paulo e os demais escritos do NT.

No AT, os reis, juízes, profetas e sacerdotes eram chamados ‘ungidos’, ou seja, alguém que era escolhido por Deus de quem o Espírito Santo se apoderava, fazendo com que a pessoa realizasse maravilhas, e demonstrasse ao povo que sua autoridade procedia de Deus. Mas até o século I AC, a palavra Messias – משיח – (ou ‘O Messias’) era aplicada apenas às profecias que se referiam à vinda do libertador de Israel.

A vinda do Messias (Jesus) foi profetizada por vários profetas, em especial por Isaías, por isso mesmo chamado ‘o profeta messiânico’. Entretanto, a palavra ‘Messias’, ‘O Ungido’, como eu falei anteriormente, só foi usada duas vezes, em Dn 9: 25-26. Os profetas se referiam ao Libertador de Israel com outras palavras, tais como: Servo, Renovo de Justiça, Renovo de Davi, Príncipe e Emanuel (que quer dizer ‘Deus conosco’). Outras palavras como: ‘Redentor’, ‘O Poderoso de Jacó’ e ‘O Santo de Israel’ (qedoshôsh Yisra’el) são, na verdade, usadas para se referir ao próprio Deus como o defensor incansável da nação. As referências bíblicas em relação a ‘Redentor’ são: Is 41: 14; Is 44: 6; Is 47: 4; Is 48: 17; Is 49: 26; Is 54: 5; Is 54: 8; Is 59: 20; Is 60: 16.

A glória dos dias do Messias é representada pelos tempos felizes de Davi e Salomão (Zc 3: 10 – cf. 1 Rs 4: 25), e o poder da paz, pela união de Judá e Israel (Os 1: 11; Is 11: 13).

As profecias sobre o Messias

• Is 7: 14: “Portanto, o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel (`immânu'êl = ‘Conosco está Deus’, ou ‘Deus conosco’)”.
• Is 9: 1-7: “Mas para a terra que estava aflita [o profeta se referia ao reino de Judá sob ameaça do jugo assírio] não continuará a obscuridade. Deus, nos primeiros tempos, tornou desprezível a terra de Zebulom e a terra de Naftali; mas, nos últimos, tornará glorioso o caminho do mar, além do Jordão, Galiléia dos gentios. O povo que andava em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhes a luz. Tens multiplicado este povo, a alegria lhe aumentaste; alegram-se eles diante de ti, como se alegram na ceifa e como exultam quando repartem os despojos. Porque tu quebraste o jugo que pesava sobre eles, a vara que lhes feria os ombros e o cetro do seu opressor, como nos dias dos midianitas; porque toda bota com que anda o guerreiro no tumulto da batalha e toda veste revolvida em sangue serão queimadas, servirão de pasto ao fogo. Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz; para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, para o estabelecer e o firmar mediante o juízo e a justiça, desde agora e para sempre. O zelo do Senhor dos exércitos fará isto”.
• Is 11: 1-2: “Do tronco de Jessé [pai de Davi] sairá um rebento [um filho, Davi], e das suas raízes um renovo [da sua descendência, da sua árvore genealógica, Jesus]. Repousará sobre ele o Espírito do Senhor, o Espírito de sabedoria e entendimento, o Espírito de conselho e fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do Senhor” [confirmando Sua unção como Messias, que nasceria da casa de Davi].
• Is 42: 1: “Eis aqui o meu servo [referência a Jesus], a quem sustenho; o meu escolhido, em quem a minha alma se compraz; pus sobre ele o meu Espírito, e ele promulgará o direito para os gentios”.
• Jr 23: 5-6: “Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, rei que é, reinará e agirá sabiamente, e executará o juízo e a justiça na terra. Nos seus dias, Judá será salvo, e Israel habitará seguro; será este o seu nome, com que será chamado: Senhor, Justiça Nossa”.
• Jr 30: 21: “O seu príncipe [referência a Jesus] procederá deles, do meio deles [Israel e Judá] sairá o que há de reinar; fá-lo-ei aproximar, e ele se chegará a mim; pois quem de si mesmo ousaria aproximar-se de mim? – diz o Senhor”.
• Jr 33: 14-16: “Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que cumprirei a boa palavra que proferi à casa de Israel e à casa de Judá. Naqueles dias e naquele tempo, farei brotar a Davi um Renovo de justiça; ele executará juízo e justiça na terra. Naqueles dias, Judá será salvo e Jerusalém habitará seguramente; ela será chamada Senhor, Justiça Nossa”.
• Ez 37: 24: “O meu servo Davi [referência a Jesus] reinará sobre eles; todos eles terão um só pastor, andarão nos meus juízos, guardarão os meus estatutos e os observarão”.
• Mq 5: 2: “E tu, Belém-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade” cf. Jo 7: 42: “Não diz a Escritura que o Cristo vem da descendência de Davi e da aldeia de Belém, donde era Davi?”

Em algumas profecias a palavra ‘servo’ está diretamente ligada à figura de Jesus; em outras, a referência ao Messias está simbolizada em Davi ou Ciro como servos usados por Deus para serem reis e conquistadores ungidos, com a missão de reinar sobre Israel e sobre os gentios, libertando Seu povo dos seus tiranos.

O Conquistador Ungido

O Conquistador Ungido será um rei a governar sobre judeus e gentios, executando a vingança de Deus contra Seus inimigos, se vestindo com a armadura da salvação (Is 59: 16-21) e derrotando completamente Seus inimigos, assim, redimindo Seu povo. No capítulo 63: 1-6 de Isaías, o Conquistador Ungido, usando veste apropriada, realiza vingança e redenção. Em sua pessoa, esse conquistador messiânico dificilmente difere do rei e do Servo. Possui os mesmos dotes espirituais e é um homem entre os homens. Mas mostra outras duas facetas sobre sua pessoa. Primeira, ele é descrito como o conquistador de Edom (Is 63: 1), uma tarefa que não foi realizada por qualquer outro rei israelita além de Davi: Nm 24: 17-19; 1 Cr 18: 11-12 (18.000 edomitas mortos por Abisai, primo de Davi); 2 Sm 8: 13-14 (18.000 homens); Sl 60 – título: “Ao mestre de canto, segundo a melodia ‘Os lírios do testemunho’. Hino de Davi para ensinar. Quando lutou contra os siros da Mesopotâmia (Rio Eufrates – 1 Cr 18: 3) e os siros de Zobá, e quando Joabe, regressando, derrotou de Edom doze mil homens, no vale do Sal” cf. Sl 108: 6-13. Aqui, nós podemos ver a identidade do Conquistador Ungido com o Messias Davídico. Segunda, ele veste as vestes de salvação e de vingança, com as quais o próprio YHWH se vestirá (Is 59: 16-21). Em Is 61: 1-3 podemos ver outra característica do Messias, que é alguém dotado do Espírito e da Palavra:
• Is 61: 1-3: “O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados, a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os que choram e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo Senhor para a sua glória”. Jesus assumiu esta profecia, como está escrito em Lc 4: 18-19: “O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que o Senhor me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor (NVI, ‘o ano da graça do Senhor’)”.

Renovo de Davi (Raiz de Davi), Renovo de Justiça

• Is 4: 2: “Naquele dia, o Renovo do Senhor será de beleza e de glória; e o fruto da terra, orgulho e adorno para os de Israel que forem salvos”.
• Is 11: 1-2: “Do tronco de Jessé [pai de Davi] sairá um rebento [um filho, Davi], e das suas raízes um renovo [raízes = da sua descendência, da sua árvore genealógica; renovo = Jesus]” cf. Ap 5: 5 b: “... eis que o Leão da Tribo de Judá, a Raiz de Davi, venceu para abrir o livro e os seus sete selos”.
• Is 53: 2: “Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse” (O Renovo para continuar a realizar a obra sacerdotal).
• Jr 23: 5: “Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, rei que é, reinará, e agirá sabiamente, e executará o juízo e a justiça na terra”.
• Jr 33: 14-18: “Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que cumprirei a boa palavra que proferi à casa de Israel e à casa de Judá. Naqueles dias e naquele tempo, farei brotar a Davi um Renovo de justiça; ele executará juízo e justiça na terra. Naqueles dias, Judá será salvo e Jerusalém habitará seguramente; ela será chamada Senhor, Justiça Nossa. Porque assim diz o Senhor: Nunca faltará a Davi homem que se assente no trono da casa de Israel; nem aos sacerdotes levitas faltará homem diante de mim, para que ofereça holocausto, queime oferta de manjares e faça sacrifício todos os dias” (Renovo de justiça; Renovo de Davi – confirmando Jesus como rei e sacerdote, pois eles também eram chamados de ‘ungidos’).

No livro de Zacarias também aparece a palavra ‘Renovo’ (não só como uma referência ao sacerdote Josué, que estava presente na edificação do segundo templo, como também ao Messias):
• Zc 3: 8: “Ouve, pois, Josué, sumo sacerdote, tu e os teus companheiros que se assentam diante de ti, porque são homens de presságio; eis que eu farei vir o meu servo, o Renovo” (O Renovo – em Hebraico: ‘tsemach’ realizaria a obra sacerdotal de remover a iniqüidade da terra num só dia).
• Zc 6: 12-13: “E dize-lhe: Assim diz o Senhor dos Exércitos: Eis aqui o homem cujo nome é Renovo [figura de Josué, o sumo sacerdote]; ele brotará do seu lugar e edificará o templo do Senhor; ele brotará do seu lugar e edificará o templo do Senhor. Ele mesmo edificará o templo do Senhor e será revestido de glória; assentar-se-á no seu trono, e dominará, e será sacerdote no seu trono; e reinará perfeita união entre ambos os ofícios”.

O Renovo cresceria em seu próprio lugar, edificaria o templo de YHWH, seria um sacerdote sobre Seu trono e desfrutaria de perfeita paz e aliança com o Senhor. Assim, é claro que o renovo é o Messias, visto em Seus ofícios: real e sacerdotal. Ele é o cumprimento das palavras do Salmo 110, onde aparece o rei como um eterno sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque.

Servo

Há um comentário a fazer sobre a palavra ‘servo’, que é usada na bíblia para outras pessoas que não o Messias. Além de ser empregada em relação a servos e senhores (amos), Deus usa essa palavra até para os ímpios que são Seus instrumentos na terra para correção do Seu povo. Por exemplo, Ele chama de ‘servo’ o povo de Israel, bem como Seus profetas, Davi, Zorobabel (também é a figura de Jesus; faz parte da Sua linhagem: Mt 1: 13; Lc 3: 27) e até o rei da Babilônia. Também chama Ciro, o persa, de servo, como veremos mais para frente, não apenas como um rei para ajudar Seu povo, mas também como uma figura profética do Messias. Vamos ver as referências bíblicas:
• Israel (Jacó) Jr 30: 10; Jr 46: 27-28; Is 41: 8-9; Is 44; 1-2; Is 44: 21; Is 45: 4; Is 48: 20; Is 49: 3.
• Profetas (Servos): Jr 7: 25; Jr 25: 4; Jr 29: 19; Jr 35: 15; Jr 44: 4.
• Davi: Jr 33: 21; Jr 33: 22; Jr 33: 26; Is 37: 35; Ez 37: 24.
• Zorobabel: Ag 2: 23.
• Rei da Babilônia: Jr 25:9; Jr 27: 6; Jr 43: 10.

Ciro, uma figura do Messias, como rei e conquistador ungido.

Em Isaías 41: 1-29, em especial os versículos 2 e 25, o profeta está falando de Ciro, que é escolhido por Deus para livrar o Seu povo do jugo babilônico, e também chamado de servo. E em outros versículos, seu nome é mencionado claramente:
• Is 44: 28: “... que digo de Ciro: Ele é meu pastor e cumprirá tudo o que me apraz; que digo também de Jerusalém: Será edificada; e do templo: Será fundado”.
• Is 45: 1: “Assim diz o Senhor ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela mão direita, para abater as nações ante a sua face, e para descingir os lombos dos reis, e para abrir diante dele as portas, que não se fecharão”.
• Is 45: 13: “Eu, na minha justiça, suscitei a Ciro e todos os seus caminhos endireitarei; ele edificará a minha cidade e libertará os meus exilados, não por preço nem por presentes, diz o Senhor dos Exércitos”.
• Is 48: 14-15: “Ajuntai-vos, todos vós, e ouvi! Quem, dentre eles, tem anunciado estas coisas? O Senhor amou a Ciro e executará a sua vontade contra a Babilônia, e o seu braço será contra os caldeus. Eu, eu tenho falado; também já o chamei. Eu o trouxe e farei próspero o seu caminho”.
• Is 44: 26; 28 (a vitória de Ciro leva à reconstrução de Sião): “... que confirmo [Ele, Deus] a palavra do meu servo* [o profeta Isaías, provavelmente, profetizando o livramento do seu povo] e cumpro o conselho dos meus mensageiros [os profetas]; que digo de Jerusalém: Ela será habitada; e das cidades de Judá: Elas serão edificadas; e quanto às suas ruínas: Eu as levantarei;... que digo de Ciro: Ele é meu pastor e cumprirá tudo o que me apraz; que digo também de Jerusalém: Será edificada; e do templo: será fundado”.

(*) Na NVI está escrito: “... que executa [Ele, Deus] as palavras de seus servos [a palavra está no plural, o que pode significar ‘os profetas’] e cumpre as predições de seus mensageiros, que diz acerca de Jerusalém: Ela será habitada, e das cidades de Judá: Elas serão construídas, e de suas ruínas: Eu as restaurarei”.

O Messias – o Servo

Nas próximas referências bíblicas fica clara a relação entre a palavra ‘Servo’ e o Messias, para nós, Jesus:
• Is 42: 1-9 (Jesus) cf. Mt 12: 18-21: “Eis aqui o meu servo, a quem sustenho; o meu escolhido, em quem a minha alma se compraz; pus sobre ele o meu Espírito, e ele promulgará o direito para os gentios. Não clamará, nem gritará, nem fará ouvir a sua voz na praça. Não esmagará a cana quebrada, nem apagará a torcida que fumega; em verdade, promulgará o direito. Não desanimará, nem se quebrará até que ponha na terra o direito; e as terras do mar aguardarão a sua doutrina. Assim diz Deus, o Senhor, que criou os céus e os estendeu, formou a terra e a tudo quanto produz; que dá fôlego de vida ao povo que nela está e o espírito aos que andam nela Eu, o Senhor, te chamei em justiça, tomar-te-ei pela mão, e te guardarei, e te farei mediador da aliança com o povo e luz para os gentios; para abrires os olhos aos cegos, para tirares da prisão o cativo e do cárcere, os que jazem em trevas. Eu sou o Senhor, este é o meu nome; a minha glória, pois, não a darei a outrem, nem a minha honra, às imagens de escultura. Eis que as primeiras predições já se cumpriram, e novas coisas eu vos anuncio; e, antes que sucedam, eu vo-las farei ouvir” – cf. Mt 12: 18-21: “Eis aqui o meu servo, que escolhi, o meu amado, em quem a minha alma se compraz. Farei repousar sobre ele o meu Espírito, e ele anunciará juízo aos gentios. Não contenderá, nem gritará, nem alguém ouvirá nas praças a sua voz. Não esmagará a cana quebrada, nem apagará a torcida que fumega, até que faça vencedor o juízo. E, no seu nome, esperarão os gentios”.
• Is 49: 1-7 com especial enfoque no v. 7: “Assim diz o Senhor, o Redentor e Santo de Israel, ao que é desprezado, ao aborrecido das nações, ao servo dos tiranos: Os reis o verão, e os príncipes se levantarão; e eles te adorarão [adorarão o Messias, Jesus, é o quer dizer] por amor do Senhor, que é fiel, e do Santo de Israel, que te escolheu”.
• Is 50: 1-11 (com especial enfoque no v. 10): “Quem há entre vós que tema ao Senhor e que ouça a voz do seu Servo? Aquele que andou em trevas, sem nenhuma luz, confie em o nome do Senhor e se firme sobre o seu Deus”.
• Is 52: 13: “Eis que o meu Servo procederá com prudência; será exaltado e elevado e será mui sublime”.
• Is 53: 1-12 (com especial enfoque no v. 11): “Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniqüidades deles levará sobre si”.

Davi, uma figura do Messias.

• Jr 30: 8-9: “Naquele dia, diz o Senhor dos Exércitos, eu quebrarei o seu jugo de sobre o teu pescoço e quebrarei os teus canzis; e nunca mais estrangeiros farão escravo este povo, que servirá ao Senhor, seu Deus, como também a Davi [se referindo a Jesus, que nasceria da Casa de Davi], seu rei, que lhe levantarei”.
• Ez 34: 22-24: “... eu livrarei as minhas ovelhas, para que já não sirvam de rapina, e julgarei entre ovelhas e ovelhas. Suscitarei para elas um só pastor, e ele as apascentará; o meu servo Davi [se referindo a Jesus] é que as apascentará (Ap 7: 17); ele lhes servirá de pastor. Eu, o Senhor, lhes serei por Deus, e o meu servo Davi será príncipe no meio delas; eu, o Senhor, o disse”.
• Ez 37: 24: “O meu servo Davi [se referindo a Jesus] reinará sobre eles. O meu servo Davi reinará sobre eles; todos eles terão um só pastor, andarão nos meus juízos, guardarão os meus estatutos e os observarão”.

O Messias é uma figura de Salvação para Israel

Como vimos, o Messias é uma figura de Salvação para Israel.
A palavra ‘salvação’ (em hebraico, ישועה) aparece 146 vezes na bíblia – 103 vezes no AT e 43 vezes no NT. No AT ela é transliterada como yeshu`âh – assim como Jesus (Yeshuaישוע) é comumente chamado. No NT a palavra ‘salvação’ (Σωτηρία) é escrita em grego como: sôtêrias (σωτηριας – Lc 1: 69; 77), sôtêria (σωτηρια – At 4: 12), sôtêrion ou sôtêrian (σωτηριαν – Lc 3: 6; At 28: 28), por exemplo. A palavra ‘Salvador’ é escrita como Sōtèr (Σωτήρ = um libertador, i.e., Deus ou Cristo), e que pode corresponder às palavras hebraicas: mattan e mattnay, significando ‘dar’ ou ‘recompensa’. As palavras gregas sôtêrias, sôtêria ou sôtêrion significam: ‘resgate, segurança, libertar, saúde, salvação, salvo, salvar, defesa, e defensor’.

A palavra hebraica yeshu`âh (salvação) é claramente vista em 3 versículos de Isaías: Is 26: 1; Is 49: 8; Is 60: 18.

Mesmo sendo transliterada de maneiras diferentes (yeshu, yshu, yish etc.) em outros versículos bíblicos, a palavra mantém as mesmas letras básicas, e o mais importante, o mesmo significado: salvação.

Segundo a Concordância Lexicon Strong, a palavra yshuw`ah (ou yeshu`âh) significa ‘algo salvo’, isto é, ‘libertação’, portanto, ajuda, vitória, prosperidade, salvamento, saúde, socorro, salvar, proteger, guardar, preservar (saúde), bem-estar. A palavra yshuw`ah está ligada à palavra yasha`, que é uma raiz primitiva cujo significado é: ser aberto, largo (espaçoso) ou livre e, conseqüentemente, estar seguro, livre; ou socorro (ou vir em socorro de), vingar, defender, libertar (ou libertador), socorrer, preservar, resgatar, trazer ou ter salvação, salvar (ou salvador), obter vitória. Yshuw`ah (ou yeshu`âh) é palavra derivada de Yhowshuwa` (Yehôshua‘, יהושע, Jehoshua; Joshua; Josué = YHWH salvou), transliterada para o grego como Iēsoùs (Ίησούς – Strong #g2424), Jesus, em Latim – Mt 1: 21; Lc 1: 31.

Como nós vimos, a palavra ‘salvação’ aparece 103 vezes no AT e 43 no NT.

Antigo Testamento:

Gn 49: 18 Sl 18: 46 Sl 62: 7 Sl 119: 41 Is 46: 13
Êx 15: 2 Sl 21: 1 Sl 67: 2 Sl 119: 81 Is 49: 6
Dt 32: 15 Sl 21: 5 Sl 68: 19 Sl 119: 123 Is 49: 8
Jz 15: 18 Sl 22: 1 Sl 70: 4 Sl 119: 155 Is 51: 5-6
1 Sm 2: 1 Sl 24: 5 Sl 71: 15 Sl 119: 166 Is 51: 8
1 Sm 14: 45 Sl 25: 5 Sl 78: 22 Sl 119: 174 Is 52: 7
2 Sm 22: 3 Sl 27: 1 Sl 85: 4 Ps 132:16 Is 52: 10
2 Sm 22: 47 Sl 27: 9 Sl 85: 7 Sl 140: 7 Is 56: 1
2 Sm 23: 5 Sl 35: 3 Sl 85: 9 Sl 146: 3 Is 59: 11
1 Cr 16: 23 Sl 35: 9 Sl 88: 1 Sl 149: 4 Is 59: 16-17
1 Cr 16: 35 Sl 37: 39 Sl 89: 26 Is 12: 2-3 Is 60: 18
2 Cr 6: 42 Sl 38: 22 Sl 91: 16 Is 17: 10 Is 61: 10
Jó 13: 16 Sl 40: 10 Sl 95: 1 Is 25: 9 Is 62: 1
Sl 3: 2 Sl 40: 16 Sl 96: 2 Is 26: 1 Is 63: 5
Sl 3: 8 Sl 50: 23 Sl 98: 2 Is 30: 15 Jr 3: 23
Sl 9: 14 Sl 51: 12 Sl 98: 3 Is 33: 2 Lm 3: 26
Sl 13: 5 Sl 51: 14 Sl 106: 4 Is 33: 6 Jn 2: 9
Sl 14: 7 Sl 62: 1 Sl 116: 13 Is 43: 12 Mq 7: 7
Sl 18: 2 Sl 62: 2 Sl 118: 15 Is 45: 8 Hc 3: 18
Sl 18: 35 Sl 62: 6 Sl 118: 21 Is 45: 17 Ml 4: 2

Novo Testamento:

Lc 1: 69 At 13: 47 2 Co 6: 2 2 Ts 2: 13 Hb 9: 28 Jd 1: 3
Lc 1: 77 At 16: 17 2 Co 7: 10 2 Tm 2: 10 Hb 11: 7 Ap 7: 10
Lc 2: 30 At 28: 28 Ef 1: 13 2 Tm 3: 15 1 Pe 1: 5 Ap 12: 10
Lc 3: 6 Rm 1: 16 Ef 3: 17 Hb 1: 14 1 Pe 1: 9 Ap 19: 1
Lc 19: 9 Rm 10: 10 Fp 1: 28 Hb 2: 3 1 Pe 1: 10  
Jo 4: 22 Rm 11: 11 Fp 2: 12 Hb 2: 10 1 Pe 2: 2  
At 4: 12 Rm 13: 11 1 Ts 1: 8 Hb 5: 9 2 Pe 3: 15  
At 13: 26 2 Co 1: 6 1 Ts 5: 9 Hb 6: 9 2 Pe 3: 15  

Em Jesus Cristo as profecias sobre o Messias foram cumpridas

Yeshua (ישוע) quer dizer ‘Salvação’, e é o nome hebraico de Jesus, por isso está escrito em Mateus 1: 21 (Lc 1: 27): “Ela dará à luz um filho e lhe porás [o anjo estava falando com José sobre Maria] o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles”.

Assim, nós podemos dizer que em Jesus Cristo as profecias sobre o Messias foram cumpridas, ou seja, Ele veio como homem, da descendência real de Davi (o Renovo de Davi) e como um servo de Deus para cumprir a Sua função de Redentor de Israel (Deus sempre disse ser o Redentor de Israel, o Poderoso de Jacó, O Santo de Israel: Is 41: 14; Is 44: 6; Is 47: 4; Is 48: 17; Is 49: 26; Is 54: 5; Is 54: 8; Is 59: 20; Is 60: 16). Ao contrário do que os judeus estavam esperando, Ele também veio como um como rei e conquistador ungido (Lc 17: 20-21; At 10: 38; Jo 18: 33-37; Jo 19: 19; Mt 11: 12-13; Jo 1: 29; Cl 2: 13-15), nos libertando definitivamente do poder da morte (gerada pelos nossos próprios pecados; Jo 1: 29; Cl 2: 13-15), e nos dando um reino espiritual (Jo 18: 33-37), não material, onde recebemos não apenas a adoção de filhos, mas a mesma autoridade que estava Nele através do Espírito Santo (Jo 1: 10-14; Jo 14: 12-15; Rm 8: 14-17).

A genealogia de Jesus

Quanto à genealogia de Jesus, Ele era da descendência de Davi como foi profetizado (Is 11: 1; Mq 5: 2; Mt 2: 5-6; Mt 22: 41-46; Mc 12: 35-37; Lc 20: 41-44; Jo 7: 42). Mateus e Lucas descrevem a genealogia de Jesus (Mt 1: 1-17; Lc 3: 23-38), mas de maneira um pouco diferente. Mateus, escrevendo mais diretamente para os judeus, mostrou que o Salvador surgiu de Abraão e Davi, a quem Deus prometeu um descendente que carregaria o nome dos seus ancestrais judeus, e que se assentaria no trono como governante (Jesus, o Messias, o Rei dos reis, filho de Abraão); assim, Mateus escreveu a genealogia de José, o descendente de Davi por Salomão (filho de Davi e Bate-Seba – 1 Cr 3: 5; Mt 1: 6), dando ênfase, portanto, na linhagem real do Messias. Lucas, entretanto, escrevendo para os gentios, traça a descendência de volta a Adão, mostrando, assim, a porção humana do Messias, como foi prometido pelo próprio Deus quando repreendeu a serpente e disse que o descendente da mulher pisaria na sua cabeça (Gn 3: 15: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”). Por isso, Lucas descreve Jesus como o neto de Eli, pai de Maria. José foi contado como um filho de Eli porque ele era seu genro. Assim, podemos ver que Maria também era da Casa de Judá, sendo descendente de Davi por seu outro filho, Natã (outro filho de Davi e Bate-Seba – 1 Cr 3: 5). Os judeus estão acostumados a se casar com membros de suas próprias tribos de origem.

Autora: Pastora Tânia Cristina Giachetti


O Messias, o Redentor

Este texto se encontra no livro:


livro evangélico: O Senhor quer falar com Seu povo

O Senhor quer falar com Seu povo

The Lord wants to talk to His people

▲ Início  

relacionamentosearaagape@gmail.com