As quatro palavras principais em Mt 11: 28-30 são: ‘cansado, sobrecarregado, jugo e fardo (ou carga)’. Jesus diz que o Seu jugo é suave e que o Seu fardo é leve, pois têm relação com o amor com que carregamos a nossa ‘cruz’, o nosso chamado.

The four main words in Matt. 11: 28-30 are: weary’, ‘burdened’ (‘heavy laden’), ‘yoke’ and ‘burden’ (or load). Jesus says that his yoke is easy and that his burden is light, for they are related to the love with which we carry our ‘cross’, our calling.


Vinde a mim – Mt 11:28-30


“Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei [em Grego transliterado: deute pros me pantes oi kopiôntes (κοπιωντες) kai pephortismenoi (πεφορτισμένοι) kagô anapausô umas]. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve” (Mt 11: 28-30) – ARA.

Em grego, a palavra ‘cansados’ está escrita como ‘kopiOntes’ = ‘os que labutam’. Já a expressão ‘estais sobrecarregados’ está escrita em grego como ‘pephortismenoi’, derivado de ‘phortizó’ (φορτίζω), ou seja, ‘carga’.

No versículo 29, Jesus diz: “Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma”. A palavra ‘jugo’ é escrita em grego como ‘zugon’ = ‘jugo’. No versículo 30, Ele completa: “Porque o meu jugo (‘zugos’) é suave, e o meu fardo é leve” (em grego, ‘phortion’ = ‘carga’).

In English is (3 Bible versions):
“Come to me, all you that are weary and are carrying heavy burdens and I will give you rest. Take my yoke upon you, and learn from me; for I am gentle and humble in heart, and you will find rest for your souls. For my yoke is easy, and my burden is light.” (NRSV)

“Come to me, all you who are weary and burdened, and I will give you rest. Take my yoke upon you and learn from me, for I am gentle and humble in heart, and you will find rest for your souls. For my yoke is easy and my burden is light.” (Matt. 11: 28-30 – NIV)

“Come unto me, all ye that labour and are heavy laden, and I will give you rest. Take my yoke upon you, and learn of me; for I am meek and lowly in heart: and ye shall find rest unto your souls. For my yoke [is] easy, and my burden is light.” (Matt. 11: 28-30 – KJV)

Assim, as quatro palavras envolvidas com o nosso raciocínio aqui são: ‘cansado’, ‘sobrecarregado’, ‘jugo’ e ‘fardo’ (ou carga).
The four main words are: weary’, ‘burdened’ (or ‘are heavy laden’), ‘yoke’ and ‘burden’ (or load).

Jesus, então, diz para vir a Ele os que estão cansados, ou seja, os que labutam, os que trabalham, o que quer dizer que ‘cansaço’ se refere às responsabilidades e obrigações pessoais com as quais a pessoa vai ter que lidar durante a sua vida, desenvolvendo o aprendizado correto e a salvação. Por depender do livre-arbítrio, ela pode colocar ou tirar de sobre si os pesos que quiser. Por isso, o Senhor disse em Mateus 16: 24; Mc 8: 34 e Lc 9: 23: “Se alguém quer vir a mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me”. ‘A sua cruz’ quer dizer: as suas responsabilidades e obrigações da vida natural, o seu trabalho consigo mesmo, a sua tarefa, a sua missão, o seu chamado, o seu aprendizado particular que o fará desenvolver sua própria salvação. Assim, todo aquele que está caminhando com o Senhor sente o peso das suas obrigações diárias e dos seus próprios pecados para lidar (como uma obrigação necessária para levá-lo à santificação e à salvação); por isso, se sente cansado e pode vir a Jesus para ser limpo, aliviado, receber Seu perdão, Seu sangue e Seu conforto e poder prosseguir.

Por outro lado, a palavra ‘sobrecarregados’ como vimos acima significa ‘carga’. Quando Ele se refere a estarem sobrecarregados, está falando sobre os que estão carregando de maneira excessiva e incorreta as cargas (os pesos) dos outros. Carga é algo que vem de fora, que é colocado sobre alguém como uma imposição; por exemplo: as leis mundanas e religiosas injustas, que limitam a liberdade das pessoas de se moverem no direcionar de Deus; ou, então, as obras malignas de Satanás, mantendo-as presas às suas cadeias e trazendo opressão, dor e sofrimento desnecessários; algo que é excessivamente maior do que é possível suportar. Por isso, Jesus lhes diz para vir a Ele para ser livre da carga: “porque sem mim nada podeis fazer” (Jo 15: 5 b).

Então, entra o versículo seguinte, onde Jesus diz: “Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma”. Isso que dizer que os que estão cansados e sobrecarregados e querem ser aliviados do seu cansaço e da sua carga vêm a Jesus e recebem o ‘Seu jugo’.

Jugo ou canga ou junta é uma peça de madeira que prende os bois pelo pescoço e os liga ao carro ou ao arado. Pode também ser definido como um pau que carregadores põem aos ombros para suspender fardos; o canzil é cada um dos pares da canga, entre os quais o boi mete o pescoço. É símbolo de sujeição e opressão. Lembre-se do texto de Jr 27: 2-22 (em especial os versículos 6-7; 11-12 – os canzis simbólicos), onde Deus fala com o profeta para colocar sobre si canzis e enviá-los igualmente às nações ao redor de Israel como sinal divino de que estariam sob o jugo babilônico. Quem assim o fizesse, seria salvo por Ele. Quem se rebelasse e fugisse, morreria.

Em 2 Co 6: 14-18, Paulo escreveu: “Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo? Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuário do Deus vivente, como ele próprio disse: Habitarei e andarei entre eles; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. Por isso, retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor; não toqueis em coisas impuras; e eu vos receberei, serei vosso Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso”.

Jugo, então, não só fala de sujeição e opressão, mas de uma parceria, onde somos ‘atrelados’ ao Senhor ou ao pecado e, conseqüentemente, ao inimigo. Portanto, o que faz o jugo leve ou pesado é quem escolhemos para ser o nosso parceiro. Por isso, Jesus disse que quem estivesse cansado e sobrecarregado deveria vir a Ele e se submeter ao Seu jugo, ou seja, ser manso (nos submetermos ao Seu moldar) e humilde de coração (depender de Deus na nossa vida como Ele foi dependente do Pai), aceitar a nossa missão, o nosso trabalho, e, assim, encontrar o descanso para a nossa alma. Em outras palavras: a pessoa não precisa impor obrigações desnecessárias a si mesma; basta apenas ser humilde e pedir a ajuda de Jesus e Seu perdão.

Por fim, no versículo 30, Jesus diz: “Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve”. Em grego ‘zugos’ (jugo), e ‘phortion’ (‘carga’; aqui traduzida como ‘fardo’). Na Concordância Lexicon Strong podemos encontrar os seguintes significados: ‘zugos’ (ζυγός – Strong #2218): da raiz ‘zeugnumi’, que quer dizer: juntar, especialmente por um jugo ou canga; um acoplamento, ou seja, (em sentido figurado): servidão (lei ou obrigação), ou no sentido literal: o travessão da balança (ligando os dois pratos dela), parelha, par ou jugo.
Onde está escrito ‘fardo’, a palavra grega é a mesma usada no versículo 28: ‘phortion’ (φορτίον – Strong #5413), e que significa literalmente: uma fatura, uma nota fiscal (como parte do frete, da carga, do transporte), ou seja, figurativamente: uma tarefa ou serviço, fardo, carga; onde a palavra ‘phortion’ é o diminutivo de phortos, uma raiz primitiva que tem o significado (dentre outros) de ‘entregar-se, levantar um peso, fardo, carga’. Com a obediência a Jesus, na ausência de pecado e almejando a santidade, nossa vida se torna mais leve. Está escrito que Seus mandamentos não são penosos (1 Jo 5: 3), pois se trata do amor. Por isso, Jesus diz que o Seu jugo, a sujeição a Ele, é algo suave, e que o Seu fardo, Sua carga sobre nós, é leve, pois tem relação com o amor com que carregamos a ‘nossa cruz’, o nosso chamado, e Ele não coloca sobre nós um peso além do que podemos carregar. O que Ele nos dá para desempenhar respeita a nossa capacidade.

Agora, podemos ver nas cartas de Paulo um trecho que diz:

• Gl 6: 1-5: “Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falta, vós, que sois espirituais, corrigi-o com espírito de brandura; e guarda-te para que não sejas também tentado. Levai as cargas (Em grego: ‘baros’, não mais ‘phortion’) uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo. Porque, se alguém julga ser alguma coisa, não sendo nada, a si mesmo se engana. Mas prove cada um o seu labor e, então, terá motivos de gloriar-se unicamente em si e não em outro. Porque cada um levará o seu próprio fardo (Em grego: ‘phortion’, novamente)”.

Na Concordância Lexicon Strong podemos encontrar os seguintes significados para a palavra ‘baros’ (βάρος – Strong #922): (no sentido de descer): ‘peso’, literalmente; no Novo Testamento, usada de maneira figurada como: uma carga, abundância, autoridade, (algo ou alguém) pesado, fardo, peso.

Então, podemos interpretar as partes relevantes (“Levai as cargas uns dos outros” – Gl 6: 2, e “Porque cada um levará o seu próprio fardo”, Gl 6: 5) da seguinte forma:
1) Levai as cargas: usar a autoridade com amor e compaixão, corrigindo os irmãos nas suas faltas e assim removendo o peso do pecado, colocando-os de volta no caminho correto para que não sejam pesados a ninguém e para que a tentação de um não acometa os outros (levando em conta o contexto em que o versículo se encontra). Carga é algo que é excessivamente maior do que é possível suportar. O pecado pesa e se torna insuportável para todo mundo.
2) Cada um levará o seu próprio fardo: em grego: ‘phortion’, novamente, que significa o que já dissemos acima: ‘uma tarefa ou serviço, fardo, carga’; coisas que são para nós resolvermos; que só nós podemos levar; o que nós mesmos fazemos, ou seja, o exercício do livre-arbítrio. Nós seremos julgados pelas nossas próprias atitudes (2 Co 5: 10).

— Para onde devemos levar as cargas uns dos outros?
— Para o trono de Deus, através da nossa intercessão, colocando e deixando ali os pesos do pecado e das imposições humanas com Aquele que é o único capaz de dar uma solução para eles. Ele já levou essas cargas e fardos sobre si na cruz do Calvário, aplacando a ira de Deus Pai e sofrendo-a em nosso lugar.

O que Ele nos dá para desempenhar respeita a nossa capacidade. A nossa parte, na verdade, é apenas semear Sua santa semente nos que estão perdidos e deixá-los exercer seu próprio livre-arbítrio.


Vinde a mim

Este texto se encontra no livro:


livro evangélico: Ensinos, curas e milagres

Ensinos, curas e milagres (PDF)

Teachings, healings and miracles (PDF)


Autora: Pastora Tânia Cristina Giachetti

▲ Início  

BRADESCO PIX: relacionamentosearaagape@gmail.com

E-mail: relacionamentosearaagape@gmail.com