Estudo sobre o Plano de Salvação de Deus e as Suas alianças com o homem através de Noé, Abraão, Moisés e Jesus. Faça uma oração de entrega a Jesus e saiba o que vem depois, i.e., o batismo nas águas e o batismo com o Espírito Santo. Bom tema para quem não é Evangélico.


O Plano de Salvação de Deus





Planeta Terra


No princípio, criou Deus os céus e a terra. A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas.
No 1º dia, Deus criou a luz.
No 2º dia, Deus criou o firmamento, e o chamou Céus.
No 3º dia, Deus separou as águas da porção seca. À porção seca chamou Deus Terra e ao ajuntamento das águas, Mares. A terra produziu relva, ervas e árvores frutíferas.
No 4º dia, Deus criou o sol e a lua; o sol para governar o dia, e a lua para governar a noite; e fez também as estrelas.
No 5º dia, Deus criou os peixes e as aves.
No 6º dia, Deus criou os animais domésticos, os répteis e animais selvagens, segundo a sua espécie. E também criou o homem à Sua imagem e semelhança.
No 7º dia, Deus descansou de toda a obra que tinha feito (Gn 1: 1-31 – resumo).


Adão e Eva


Deus, no Seu infinito amor, criou o homem à Sua própria imagem e semelhança e lhe deu um lugar maravilhoso para morar. Além disso, colocou nele toda a Sua sabedoria, poder, santidade, pureza e beleza. Deu-lhe ordens para serem obedecidas para o seu próprio bem.


Expulsos do Paraíso


A serpente seduziu e enganou Eva, que comeu do fruto e também o deu a Adão para comer. Pela sua desobediência às ordens de Deus, foram amaldiçoados e expulsos da Sua presença e do jardim. O pecado da desobediência criou uma separação entre o homem e Deus e gerou no homem a natureza deformada de Satanás (Gn 3: 1; Gn 3: 23-24).

O homem perdeu a intimidade com Deus. Ele, que antes conversava com Adão no final do dia e lhe contava todos os Seus segredos, deixou de lhe falar. Adão e Eva geraram dois filhos chamados Caim e Abel. Pela sua natureza corrompida pelo pecado, Caim matou seu irmão Abel por ciúmes dele com Deus. Deus o amaldiçoou e ele se tornou um fugitivo sobre a terra.


Noé


Adão gerou outro filho e lhe chamou Sete. A partir de Sete a humanidade cresceu. Assim, da descendência de Sete nasceu Noé.

Os homens, com a natureza maligna do diabo dentro de si, se corromperam e isso não agradou a Deus. Vieram os homicídios e todos os tipos de perversões. Deus decidiu destruir todos os seres que havia criado, mas encontrou Noé e mandou que ele construísse uma arca de madeira e a calafetasse por dentro e por fora porque haveria um Dilúvio sobre a terra que destruiria todos os seres vivos (Gn 6: 5-22; Gn 7: 1-10). Ele deveria colocar um casal de cada animal lá dentro.

Noé levou cem anos para construir a arca. O Dilúvio durou quarenta dias e quarenta noites. Um ano depois, as águas se secaram (Gn 7: 11-24; Gn 8: 1-22; Gn 9: 1-8). Quando as águas baixaram, Noé e sua família saíram da arca e Deus lhe disse que nunca mais destruiria a terra com um Dilúvio. Como um sinal desta aliança, Ele colocaria um arco-íris no céu para que Noé se lembrasse sempre dessa aliança eterna (Gn 9: 9-19). Esta foi a primeira aliança de Deus feita com o homem para tentar reatar o relacionamento rompido pelo pecado.

De Noé nasceu uma descendência e, no decorrer dos anos, os homens se esqueceram de sua aliança com Deus novamente. Da descendência de Sem, um dos filhos de Noé, nasceu Abrão. Quando Abrão tinha 75 anos de idade, Deus o chamou para fazer, através dele, uma nova aliança com os homens.


Abrão


O Senhor disse a Abrão para sair de sua casa e da sua parentela e ir para outra terra; Ele lhe daria uma grande descendência e ele seria uma bênção. Por causa dele, todas as famílias da terra seriam abençoadas. Então, disse: “Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra” (Gn 12: 1-3).

Passaram-se mais alguns anos e, com 99 anos de idade, Abrão estava triste porque não tinha filhos. Mas o Senhor lhe prometeu que lhe daria um filho, e o seu nome seria Isaque, que significa ‘riso’. Então, mudou seu nome para Abraão. Essa foi a segunda aliança de Deus com os homens. O sinal desta aliança seria a circuncisão de todo menino no 8º dia de vida (Gn 17: 4-14).

O bisneto de Abraão foi José, que foi vendido por seus irmãos a uns mercadores e levado ao Egito. Depois de ficar na prisão por muitos anos, foi liberto e colocado por Faraó como governador da nação. Assim, a família de José foi trazida para o Egito e se multiplicou gerando uma grande descendência, como disse Deus. Mas se tornaram escravos dos egípcios e começaram a sofrer. Então se lembraram do Deus dos seus antepassados e começaram a clamar a Ele.

Faraó ordenou que matassem os meninos hebreus recém-nascidos, jogando-os no rio Nilo. A mãe de Moisés o escondeu por três meses, mas depois o colocou num cesto e o largou no rio. A filha de Faraó adotou o menino e lhe deu o nome de Moisés, que significa: “tirado das águas”, pois do Nilo foi tirado. Ele foi criado no palácio para ser príncipe do Egito. Um dia, vendo um egípcio brigando com um hebreu, entrou na briga e matou o egípcio. No dia seguinte, tentando acabar com uma discussão entre dois hebreus, descobriu que já sabiam do assassinato. Com medo de Faraó, fugiu para o deserto e se casou com Zípora, filha de um sacerdote, e passou a pastorear ovelhas por quarenta anos. Num naqueles dias, estava no monte Horebe com o rebanho quando o Anjo do Senhor lhe apareceu numa chama de fogo, no meio de uma sarça que, entretanto, não se consumia. Moisés ouviu a voz de Deus chamando-o.

O Senhor lhe disse: “Vem, agora, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo do Egito... Eu Sou o que Sou” (Êx 3: 7-14 – resumo). Moisés voltou ao Egito e libertou o povo de lá.


sarça ardente


Essa foi a terceira aliança de Deus com o Seu povo, para que se voltasse a Ele novamente. Através de Moisés, deu-lhes Suas leis para que fossem obedecidas. O povo, entretanto, não obedeceu às leis de Deus, pelo contrário, a natureza do diabo na sua carne, decorrente do pecado de Adão e Eva, continuou a agir e eles novamente se corromperam.


aliança


A natureza pecaminosa no homem gerou enfermidades, vícios, homicídios, orgulho, idolatria, amor ao dinheiro, perversões sexuais, deformações de caráter e toda a sorte de males, afastando o homem cada vez mais de Deus. Durante séculos Ele usou Seus servos, os profetas, para chamar o homem de volta à santidade. Os profetas foram mortos ou desprezados e o povo se recusou a ouvir a voz de Deus. Sofria, mas seu orgulho não lhe permitia reconhecer seu erro, se arrepender e ser salvo.

Deus insistia em fazer uma aliança de amor e restauração com o homem. Quem a aceitaria?


Jesus morreu na cruz


Então o Pai resolveu fazer uma aliança definitiva com o homem enviando Seu próprio Filho para morrer por nós, para carregar sobre si o nosso pecado e, assim, nos libertar da morte e do inferno, que simboliza a separação definitiva de Deus.

Jesus veio ao mundo e morreu na cruz para pagar a dívida pelos nossos pecados e acabar com a separação entre nós e Deus. Desde a morte de Abel o pecado do homem só seria purificado com sangue. Todavia, não servia qualquer sangue, de homens ou animais, pois só o sangue do Filho de Deus, puro e santo, poderia pagar a dívida da humanidade. A relação com o Pai seria definitivamente restaurada e as cadeias e grilhões do diabo na vida dos homens seriam quebrados.

“Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Isaías 53: 4-5).


adorador

Oração de entrega da vida a Jesus

Se você crê que Jesus é o Filho de Deus, que ressuscitou dentre os mortos e deu Sua vida para salvá-lo repita em voz alta essa oração:

“Pai, em nome de Jesus, eu declaro que creio no sacrifício de Jesus na cruz para me salvar, e na Sua ressurreição. Por isso, eu te peço perdão pelos meus pecados e que o mesmo sangue que foi derramado na cruz venha a cobrir toda a minha vida e me purificar de todo pecado e injustiça. Eu confesso Jesus como meu único Senhor e Salvador e recebo o teu Espírito Santo em meu coração para que, a partir de hoje, eu seja transformado na pessoa que tu desejas que eu seja. Endireita os meus caminhos, Senhor. Escreve o meu nome no Livro da Vida e me faz um participante da tua herança eterna. Em nome de Jesus, quebro todo o vínculo que eu tenho com as trevas. Amém”.

— O que vai acontecer comigo agora?
— Agora que você nasceu de novo, ainda falta mais uma coisa para a bênção ser completa. Antes de subir ao céu, Jesus disse: “Ide, portanto, e fazei discípulos de todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo...” (Mt 28: 19).


Jesus e Nicodemos


Jesus também disse a Nicodemos, um mestre da lei: “Quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus” (Jo 3: 5).

Ele estava falando do batismo nas águas, que nos torna verdadeiramente novas criaturas, com nosso espírito lavado de todo o nosso passado. Com o batismo nas águas o nosso espírito é recriado como foi o de Adão no princípio, nós deixamos de fazer o que fazíamos antes na vontade da nossa carne (a parte do nosso ser que tende ao pecado) e admitimos que somos pessoas espirituais, recebemos a vida eterna, pois a vida de Jesus está dentro de nós agora. O batismo também derruba a barreira ao fluir do Espírito Santo (‘a circuncisão’ do nosso coração) e nos garante que somos filhos de Deus, não mais Suas criaturas como éramos antes. O batismo nos separa definitivamente do mundo (nosso dono passa a ser Jesus, não Satanás). O batismo não é opção, mas mandamento do Senhor.

Não há impedimento algum para se batizar, se existir fé no seu coração (At 8: 36b-38). Você não precisa estar “pronto” nem perfeito, pois é o Espírito Santo que vai realizar a santificação em sua vida. O batismo é o ‘selo’ da oração de entrega que você fez e lhe deu a salvação.

Após o batismo nas águas, você ainda tem mais uma promessa do Senhor para se tornar forte e apto a ser usado com mais poder por Ele: o batismo no Espírito Santo. Peça a Deus para batizá-lo com o Espírito Santo, pois é promessa para todos nós (At 2: 39).


O Espírito Santo


O batismo no Espírito Santo é uma força extra vinda da parte de Deus e que capacita a pessoa a viver a abundância prometida por Jesus aos que O recebem, dando-lhe a autoridade para expulsar demônios, o domínio sobre o mundo, sobre a carne e sobre as enfermidades, abençoando-a com todos os dons e frutos do Espírito Santo: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, mansidão, fidelidade e domínio próprio. Foi o que aconteceu no Pentecostes com os apóstolos, quando receberam o batismo no Espírito Santo e passaram a orar em línguas estranhas, como um sinal dessa ação de Deus em suas vidas. O orar em línguas estranhas (“língua dos anjos”) dá ao seu espírito a capacidade de falar em mistério com Deus sem que o inimigo entenda (1 Co 14: 2) e, assim, você possa ser fortalecido cada vez mais com o Espírito do Senhor. O batismo ocorre pela vontade de Deus. Você pede e Ele realiza, no tempo certo, no Seu tempo. Não fique ansioso nem tenha medo; isso ocorre de maneira natural, sem traumas, quando você menos espera, e o faz feliz e seguro da presença de Deus em sua vida.


Fogos de artifício em dia de festa


— Pronto! Você está verdadeiramente capacitado para desfrutar o reino de Deus. Que Deus o abençoe.

Quando Jesus nasceu houve uma grande festa no céu e na terra, pois Deus estava dando a Salvação aos homens. Hoje você nasceu em Cristo como uma nova criatura, por isso os anjos exultam, o Pai se alegra por receber mais um filho e os homens presenciam o milagre do “novo nascimento”.

Bem-vindo à família do Senhor!

Autora: Pastora Tânia Cristina Giachetti

Este texto se encontra no livro:


livro evangélico: Quero nascer de novo (adultos)

Quero nascer de novo

I want to be born again

▲ Início  

relacionamentosearaagape@gmail.com