Capítulo 62: Isaías fala da cidade de Sião, a noiva do Senhor. Ele a chamará de Minha-Delícia [Hefzibá], mostrando sua condição de amada de Deus, e Desposada [Beulá] porque ela não mais será uma cidade abandonada e desamparada; seus habitantes voltarão para ela.


Isaías capítulo 62




Capítulo 62

Jerusalém, a noiva do Senhor – v. 1-12.
• Is 62: 1-5: “Por amor de Sião, me não calarei [NVI: ‘eu não sossegarei’] e, por amor de Jerusalém, não me aquietarei, até que saia a sua justiça como um resplendor [NVI: ‘não descansarei enquanto a sua justiça não resplandecer como a alvorada’], e a sua salvação, como uma tocha acesa. As nações verão a tua justiça, e todos os reis, a tua glória; e serás chamada por um nome novo, que a boca do Senhor designará. Serás uma coroa de glória [NVI: ‘uma esplêndida coroa’] na mão do Senhor, um diadema real na mão do teu Deus. Nunca mais te chamarão Desamparada, nem a tua terra se denominará jamais Desolada [NVI: ‘Não mais a chamarão abandonada, nem desamparada à sua terra’]; mas chamar-te-ão Minha-Delícia [NVI: ‘Hefzibá’, que significa ‘o meu prazer está nela’]; e à tua terra, Desposada [NVI: ‘Beulá’, que significa casada]; porque o Senhor se delicia em ti; e a tua terra se desposará. Porque, como o jovem desposa a donzela, assim teus filhos te desposarão a ti [NVI: ‘os seus filhos se casarão com você’ ou ‘assim aquele que a edificou se casará’]; como o noivo se alegra da noiva, assim de ti se alegrará o teu Deus”.

Muito provavelmente era Isaías clamando ao Senhor pela Sua justiça, livrando Jerusalém e seu povo da ação dos babilônios, e fazendo-o retornar em honra à sua cidade. A salvação do Senhor fará com que a cidade volte a ser vista como protegida e abençoada pelo Seu Deus, como uma tocha acesa diante de todos os povos. Os reis e as nações verão o favor divino sobre Jerusalém e ela será chamada por um nome novo que o Senhor mesmo dará a ela. Ele a chamará de Minha-Delícia [NVI: ‘Hefzibá’, que significa ‘o meu prazer está nela’], mostrando sua condição de amada de Deus; e Desposada [NVI: ‘Beulá’, que significa casada] porque ela não mais será uma cidade abandonada e desamparada; seus filhos (habitantes) voltarão e habitarão nela. Ela terá uma fama melhor do que tem agora.
‘Uma coroa de glória’ expressa a dignidade que ela vai ter diante de Deus.
‘Na mão do Senhor’ significa que será preservada e defendida por Ele.
‘Um diadema real’ simboliza a realeza de Jerusalém, feita para ser a capital de Judá, e o lugar onde o rei e o sumo sacerdote eram os instrumentos de Deus para defender fisicamente Seu povo e iluminá-lo espiritualmente. O aumento da sua descendência se estende também aos tempos do evangelho, quando as pessoas de todas as terras vinham a Jerusalém, não apenas para as festas religiosas, mas para ouvir as palavras de Jesus e ver Seus milagres; e mesmo depois, quando a Igreja Primitiva começou a fazer convertidos entre judeus e gentios. E os ‘filhos de Jerusalém’ serão fiéis a ela, porque a amarão.

‘Como o noivo se alegra da noiva, assim de ti se alegrará o teu Deus’ – aqui, ela aparece como a noiva, e Deus como o noivo que se alegra com ela.

• Is 62: 6-9: “Sobre os teus muros, ó Jerusalém, pus guardas [NVI: ‘sentinelas’], que todo o dia e toda a noite jamais se calarão; vós, os que fareis lembrado o Senhor [NVI: ‘Vocês que clamam pelo Senhor’], não descanseis, nem deis a ele descanso até que restabeleça Jerusalém e a ponha por objeto de louvor na terra. Jurou o Senhor pela sua mão direita e pelo seu braço poderoso: Nunca mais darei o teu cereal por sustento aos teus inimigos, nem os estrangeiros beberão o teu vinho, fruto de tuas fadigas. Mas os que o ajuntarem o comerão e louvarão ao Senhor; e os que o recolherem beberão nos átrios do meu santuário [NVI: ‘aqueles que juntarem as uvas delas beberão nos pátios do meu santuário’]”.

O profeta fala em nome de Deus, dizendo que Ele mesmo colocou sentinelas (atalaias) sobre os muros de Jerusalém, mostrando de maneira figurada que Ele mesmo levantaria intercessores e sacerdotes que ensinariam o povo a clamar sempre diante Dele pelo livramento da cidade e pela sua restauração, até que ela volte a ser um louvor na terra, e eles dariam a notícia da sua salvação e do favor do Senhor por ela, afastando todos os inimigos. Eles lembrariam o Senhor de dia e de noite das promessas que Ele já havia feito em relação à salvação da filha de Sião. A promessa é do próprio Deus, como um juramento de que Ele não vai mais entregar seu cereal (seu alimento) nas mãos de estrangeiros, como foi com os babilônios e outros antes deles; nem dará mais o fruto das suas vinhas a esses estranhos. Mas o que pertencer a Jerusalém será dela e de seus filhos; eles louvarão o nome do Senhor pela Sua abundância e prosperidade, e levarão suas ofertas de manjares ao templo do Senhor como gratidão.

Com a Jerusalém espiritual (a Igreja) é a mesma coisa: Jesus é o muro protetor de Sua igreja; e seus ministros, profetas e intercessores são os que estão sobre os muros (como Habacuque no AT), em proximidade com o Senhor, para interceder pela santidade dela e dar-lhe o aviso da parte Dele para que a igreja sempre encontre o favor de Deus e siga Sua direção. A intercessão e a pregação da Palavra são os dois alicerces principais da igreja, e devem ser exercidos continuamente (de dia e de noite, nos momentos de alegria e nos momentos de provação, em tempo oportuno e não (2 Tm 4: 2), ou ‘em tempo e fora de tempo’ para que os olhos do Senhor esteja continuamente sobre ela, e pessoas possam ser arrebanhadas para Ele.

• Is 62: 10-12: “Passai, passai pelas portas; preparai o caminho ao povo; aterrai, aterrai a estrada, limpai-a das pedras; arvorai bandeira aos povos [NVI: ‘Construam, construam a estrada! Removam as pedras. Ergam uma bandeira para as nações’]. Eis que o Senhor fez ouvir até às extremidades da terra estas palavras: Dizei à filha de Sião: Eis que vem o teu Salvador; vem com ele a sua recompensa, e diante dele, o seu galardão [NVI: ‘Ele traz a sua recompensa e o seu galardão o acompanha’]. Chamar-vos-ão Povo Santo, Remidos-Do- Senhor; e tu, Sião, serás chamada Procurada, Cidade-Não-Deserta”.

A primeira frase: ‘Passai, passai pelas portas; preparai o caminho ao povo; aterrai, aterrai a estrada, limpai-a das pedras; arvorai bandeira aos povos’ pode ser comparada com Is 49: 22: ‘Assim diz o Senhor Deus: Eis que levantarei a mão para as nações e ante os povos arvorarei a minha bandeira; eles trarão os teus filhos nos braços, e as tuas filhas serão levadas sobre os ombros’. Deus promete (Is 49: 22) que até os judeus que foram levados durante a invasão da cidade ou que nasceram durante o exílio virão a ela; e os gentios que ela nunca viu virão por amor do Senhor, pois Ele mesmo os chamará. Mas em Is 62: 10-12 a alusão à vinda do Messias parece mais clara, bem como o chamado profético a estar com o coração preparado para Ele, ou seja, tirar os impedimentos no Seu caminho, seja nos corações dos judeus ou dos gentios. Ele virá trazendo salvação (Zc 9: 9) e, junto com Ele, virá a Sua recompensa e o Seu galardão (cf. Is 40: 10). Galardão significa: recompensa de serviços valiosos, prêmio, honra e glória; e isso se refere ao grande serviço prestado por Jesus na cruz. O povo convertido é Sua recompensa (e Seu galardão) e a confirmação da Sua glória. Em hebraico, a palavra para ‘recompensa’ é sakar (Strong #7939), que significa: ‘pagamento de contrato; concretamente, salário, tarifa, manutenção; por implicação, compensação, benefício, recompensa’. Depois, a bíblia diz: “Chamar-vos-ão Povo Santo, Remidos-Do-Senhor; e tu, Sião, serás chamada Procurada, Cidade-Não-Deserta”.

‘Redimidos’ (hebraico, ga’al, Strong #1350) é uma raiz primitiva que significa ‘redimir’ (de acordo com a lei oriental do parentesco), ou seja, ser o parente mais próximo (e, como tal, exercer o papel de resgatador); vingar, libertar, fazer libertação, executar a parte de parente próximo, parente masculino, comprar, redimir, resgatar (resgatador), vingador. O Resgatador, em Hebraico, Goel (go’el ou gho’êl), vem do verbo ga’al (‘redimir’), é também chamado ‘parente-redentor’ e ‘vingador’. O resgatador era um parente não tão distante, influente, a quem a família podia em geral recorrer quando a sua linhagem ou os seus bens corressem o risco de ser perdidos.

Ele deveria: comprar de volta a terra da família vendida em tempos de crise (Lv 25: 25); resgatar parentes escravizados (Lv 25: 47-49); garantir um herdeiro para o irmão morto (Dt 25: 5-10); vingar a morte de um parente (Nm 35: 19-21); e tomar conta de parentes em circunstâncias difíceis (Jr 32: 6-25). O Resgatador de Rute e Noemi foi Boaz. Em relação a Israel, a idéia de resgate (Resgatador) é também usada em referência a Deus e à redenção por Ele efetuada:

• Êx 6: 6-8: “Portanto, dize aos filhos de Israel: eu sou o Senhor, e vos tirarei de debaixo das cargas do Egito, e vos livrarei da sua servidão, e vos resgatarei com braço estendido e com grandes manifestações de julgamento. Tomar-vos-ei por meu povo e serei vosso Deus; e sabereis que eu sou o Senhor, vosso Deus que vos tiro de debaixo das cargas do Egito. E vos levarei à terra a qual jurei dar a Abraão, a Isaque e a Jacó; e vô-la darei como possessão. Eu sou o Senhor”;
• Jó 19: 25: “Porque eu sei que o meu redentor vive e por fim se levantará sobre a terra”;
• Sl 19: 14: “As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, Senhor, rocha minha e redentor meu”;
• Sl 69: 18: “Aproxima-te de minha alma e redime-a; resgata-me por causa dos meus inimigos”;
• Is 43: 1: “Mas agora, assim diz o Senhor, que te criou, ó Jacó, e que te formou, ó Israel: Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome, tu és meu”.

Nessas passagens, Deus é o parente mais próximo de Israel, surgindo para trazer a nação de volta à Sua família, já que o próprio povo não tinha condições para isso.
A palavra ‘resgatador’ é também empregada como um prenúncio da vinda do Messias (Is 59: 20: ‘Virá o Redentor a Sião e aos de Jacó que se converterem, diz o Senhor’). Cristo é o nosso parente próximo que veio nos comprar de volta para a família de Deus. No NT o conceito de resgate se revela nos vários sinônimos de resgatar, que transmite a idéia de: pagar um resgate, fazer uma aquisição ou reaver o que se perdeu.

‘Tu, Sião, serás chamada Procurada, Cidade-Não-Deserta’ – com a libertação do cativeiro, Sião não será mais uma cidade deserta, abandonada, pois o Senhor trará sua reconstrução e o seu repovoamento, não apenas com a volta dos exilados, mas com gentios que se achegarão a ela. Com a salvação trazida pelo Messias, a glória de Jerusalém será ainda maior por causa Dele, pois sua fama correrá até as nações mais longínquas.

Autora: Pastora Tânia Cristina Giachetti

• Principal fonte de pesquisa: Douglas, J.D., O novo dicionário da bíblia, 2ª ed. 1995, Ed. Vida Nova.
• Fonte de pesquisa para algumas imagens: wikipedia.org e crystalinks.com

Sugestão para download:

tabela de profetas AT

Tabela dos profetas (PDF)

Table about the prophets (PDF)


livro evangélico: Profeta, o mensageiro de Deus

Profeta, o mensageiro de Deus

Prophet, the messenger of God


Este texto se encontra no 3º volume do livro:


livro evangélico: O livro do profeta Isaías

O livro do profeta Isaías vol. 1

O livro do profeta Isaías vol. 2

O livro do profeta Isaías vol. 3

The book of prophet Isaiah vol. 1

The book of prophet Isaiah vol. 2

The book of prophet Isaiah vol. 3

▲ Início  

relacionamentosearaagape@gmail.com