Menorá é o candelabro de ouro de sete lâmpadas dado por Deus a Moisés, mencionado em Isaías 11: 2 (a unção que estava sobre Jesus) e em Apocalipse (os sete espíritos de Deus). O candelabro de ouro no Tabernáculo significava a presença de Deus, o Espírito Santo.


A Menorá




A primeira referência ao candelabro está em Êx 25: 31-40. Aqui Deus estava dando ordens a Moisés para construir o Tabernáculo e lhe ordenou que o fizesse com sete lâmpadas para ser colocado no Lugar Santo do templo, onde os sacerdotes deveriam estar todos os dias. A próxima referência se encontra em Êx 37: 17-24, quando novamente fala sobre o tabernáculo. O candelabro era de ouro puro, diferente da mesa e da arca que eram de madeira de acácia cobertas com ouro; o candelabro foi esculpido em ouro e, como diz a bíblia, era de ouro batido. A palavra hebraica usada para este candelabro de sete lâmpadas é Menorá (מנרה – Strong #4501), um substantivo feminino.

Em Nm 8: 1-4 encontramos mais uma referência ao candelabro, quando Deus está falando com Moisés a respeito de Arão e dos levitas, o que nos faz pensar que as lâmpadas têm relação com o sacerdócio. No NT podemos encontrar uma referência ao candelabro e ao tabernáculo em Hb 9: 1-10. Resumidamente, aqui podemos falar do significado desses símbolos: O Santo Lugar, onde estão a mesa, o candelabro e os pães, significa uma vida entregue a Deus. O candelabro significa a presença do Espírito Santo conosco, a luz de Deus, um estilo de vida que deve fazer parte da vida do cristão. A mesa fala de comunhão e intimidade com Deus e os pães significam comida e provisão; o altar do incenso, embora colocado no Lugar Santo, faz parte do Santo dos Santos, e é um estilo de vida de oração e do brilho do Senhor; a arca é símbolo de aliança com Deus e de Sua presença e glória em nós; o maná é símbolo da comida espiritual que Ele nos dá, e a vara representa a autoridade e a unção que devemos ter no nosso espírito. As tábuas são nosso pacto com Deus e com Seus mandamentos. O Santo Lugar representa nossa alma e o Santo dos Santos, nosso espírito, onde só o sumo sacerdote, Jesus, tem acesso.

Para nós que nascemos do Espírito, tudo isso tem um significado. Em primeiro lugar, vamos até Pv 20: 27 onde está escrito: “O espírito do homem é a lâmpada do Senhor, a qual esquadrinha todo o mais íntimo do corpo”. Isso significa que o nosso espírito iluminado pela presença de Deus é capaz de sondar nosso interior e transformá-lo à imagem do Senhor. Em Is 11: 2 o significado dessas sete luzes torna-se bem claro para nós. Isaías profetiza sobre as qualidades do Messias, como se esperaria de um rei, também chamado ‘ungido de Deus’. Por isso, ele começa falando que o Espírito do Senhor repousará sobre Ele (Jesus), o Messias, trazendo também os dons da sabedoria, do entendimento, de conselho, de fortaleza, de conhecimento e de temor do Senhor. O texto diz: “Repousará sobre ele o Espírito do Senhor, o Espírito de sabedoria e entendimento, o Espírito de conselho e fortaleza [NVI: poder], o Espírito de conhecimento e de temor do Senhor”. Neste versículo, a palavra ‘conselho’, em Hebraico, `etsah, significa: conselho; por implicação: plano, prudência, deliberação, consideração, ponderação, conselho, conselheiro, propósito.


Candeeiro – Menorá
Candelabro ou candeeiro
Menorâh ou Menorath (hebraico) Êx 25: 31-39
Nebhrashtâ’ ou Nebrsha’ (aramaico) Dn 5: 5
Lychnia ou Luchnia (grego, candeia ou velador) Mt 5: 15


Sob a ótica de Deus, é bom pedirmos essas sete porções, os sete Espíritos de Deus sobre nós, porque saberemos nos conduzir corretamente na nossa jornada cristã. Em Ap 1: 4 podemos encontrar uma referência à Menorá (a plenitude das sete características do Espírito Santo): “João, às sete igrejas que se encontram na Ásia, graça e paz a vós outros, da parte daquele que é, que era e que há de vir, da parte dos sete Espíritos que se acham diante do seu trono”.

Vamos, agora, explicar o que significam esses sete Espíritos de Deus, com base no texto de Is 11: 2.

1º) O Espírito do Senhor: é o próprio Espírito de Deus em nós, mantendo Sua chama de vida no nosso espírito, fazendo-nos existir e realizar Sua obra na terra. Com o Espírito Santo podemos realizar o que Jesus realizava: pregar boas novas, curar os enfermos da alma e do corpo, libertar os cativos do diabo e levar alegria. Nós o recebemos no momento da nossa conversão. Is 61: 1-3 diz: “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados, a apregoar o ano aceitável do Senhor [NVI – o ano da bondade do Senhor] e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os que choram e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo Senhor para a sua glória”. O Espírito do Senhor nos faz sentir coragem, assim como a força e o poder de Deus em ação de milagres, libertação e cura.

2º) O Espírito de Sabedoria: a sabedoria é a arte de ser bem sucedido, de formar um plano correto para alcançar os resultados desejados, ter habilidade, prudência, graça; saber aplicar o conhecimento e o entendimento da palavra; está envolvida no ato de interpretar sonhos. No NT, possui a mesma natureza intensamente prática que encontramos na sabedoria do AT. A sabedoria, no seu sentido mais amplo, pertence exclusivamente a Deus e consiste não apenas em conhecimento completo acerca de todos os aspectos da vida, mas também no conhecimento daquilo que Ele tem em mente para ser cumprido. A sabedoria está mais relacionada ao ensino, ao passo que o conhecimento está mais relacionado ao ministério profético. Sua sede é o coração, o centro da decisão moral e intelectual. A sabedoria nos coloca em contato direto com a mente de Deus nos fazendo pensar como Ele pensa.

3º) O Espírito de Entendimento: inteligência, discernimento. É a compreensão que adquirimos após termos o conhecimento (a revelação) da palavra de Deus. Ele nos coloca em contato com a verdade divina contida na Palavra, nos trazendo a segurança sobre o que cremos e nos dando a capacidade de resistir ao mal e a tudo o que tenta impedir Sua vontade para nossa vida, como os falsos ensinos.

4º) O Espírito de Conselho: planejamento e estratégia, solução para um propósito. Estar numa mesa de conselho é estar junto com autoridades que vêm discutir algo importante e planejar soluções e estratégias (Is 40: 13-14; Jr 23: 18). Assim, estarmos reunidos com Deus em oração nos dá o discernimento espiritual para recebermos Suas estratégias para vencermos qualquer situação. Neste versículo, a palavra ‘conselho’, em Hebraico, `etsah (Strong #6098), significa: conselho; por implicação: plano, prudência, deliberação, consideração, ponderação, conselho, conselheiro, propósito. A prudência (Conselho) nos leva a planejar a estratégia correta em cada situação e esperar pelo momento certo de tomar decisões; também nos ensina a maneira como tudo deve ser feito. Através dela adquirimos a certeza de que tudo tem solução.

5º) O Espírito de Fortaleza: dá-nos domínio e convicção da vitória. Onde as nossas forças acabam os recursos de Deus são liberados. A fortaleza (NVI: ‘poder’) nos faz realizar coisas que, no nosso natural, não somos capazes; coisas grandes e ousadas. A fortaleza do Espírito nos envolve como um escudo de proteção e nos firma ‘na Rocha’, como se firma no chão uma árvore com raízes fortes. Ela nos dá determinação, segurança e certeza para prosseguirmos em nossos objetivos.

6º) O Espírito de Conhecimento: é ter a compreensão correta das coisas, a informação revelada da palavra de Deus e saber o que temos à nossa disposição através dela. Está relacionado à revelação e à experiência, aos sonhos e às visões. A palavra ‘conhecimento’ tem a idéia de desvendar alguma coisa oculta para que possa ser vista e conhecida conforme é, ou seja, ela expressa a idéia de revelação. O conhecimento traz luz, clareza, revelação e manifestação do que está em oculto, seja bom ou mau. Ele nos faz conhecer os segredos do coração de Deus e os mistérios do mundo espiritual. Enche-nos com a verdade para que possamos vencer as falsas profecias.

7º) O Espírito de Temor do Senhor: significa reverência, prioridade, respeito, devoção a Deus, reconhecer quem Ele é e não usar Seu nome em vão. O temor do Senhor nos eleva até o trono e nos faz entrar em contato com a santidade do Senhor. Coloca-nos numa posição de afastamento das coisas mundanas para dar reverência e prioridade à pessoa de Deus. Através do temor do Senhor nós conhecemos Seu amor e a força do louvor e da adoração dos anjos ao redor do trono. Diante dele cai toda a irreverência, idolatria e perturbação da paz. É interessante notar que na bíblia a palavra medo ou temor vem de várias raízes gregas e hebraicas, como por exemplo: a) Phobos (gr.) = arroubo, medo, terror. b) Deilia (gr.) = temor, covardia, timidez, como está em 2 Tm 1: 7. c) Eulabeia (gr.) = prudência, reverência. d) Pachad (hebr. AT) = temer, estar ansioso ou em terror; ajudador ou um companheiro para a vida (se referindo à morte), até que veio Jesus para nos libertar do medo dela (Hb 2: 15).

O candelabro de ouro com sete lâmpadas (Êx 25: 31-32; Êx 37: 17-18) colocado no Tabernáculo de Moisés e no Templo de Salomão era o símbolo do Espírito Santo, da presença de Deus com o Seu povo. As sete lâmpadas são também chamadas de ‘os sete Espíritos de Deus’ (Ap 1: 4; Ap 4: 5; Ap 5: 6), com o mesmo significado de Zc 4: 10 (‘sete olhos’ – ARA / ‘sete lâmpadas’ – NVI).

Autora: Pastora Tânia Cristina Giachetti

Este texto se encontra nos livros:


livro evangélico: Mensagem às sete igrejas do Apocalipse

Mensagem às sete igrejas do Apocalipse

Message to the Seven Churches of Revelation


livro evangélico: Jamais falte óleo sobre tua cabeça

Jamais falte óleo sobre tua cabeça

Never be lacking oil on your head

▲ Início  

relacionamentosearaagape@gmail.com