Capítulo 20: a profecia contra Etiópia e Egito continua. Israel é advertido para não buscar ajuda neles. No reinado de Sargom II da Assíria, Isaías passou três anos descalço e com as nádegas descobertas como uma encenação a respeito da assolação daquelas duas nações.


Isaías capítulo 20




Capítulo 20

Profecia do cativeiro dos egípcios e dos etíopes. Foi um aviso a Israel para não buscar ajuda na Etiópia ou no Egito – v. 1-6
• Is 20: 1-6: “No ano em que Tartã [NVI: ‘general’], enviado por Sargão [Sargom II], rei da Assíria, veio a Asdode, e a guerreou, e a tomou, nesse mesmo tempo, falou o Senhor por intermédio de Isaías, filho de Amoz, dizendo: Vai, solta de teus lombos o pano grosseiro de profeta [NVI: ‘o pano de saco’] e tira dos pés o calçado [NVI: ‘as sandálias dos pés’]. Assim ele o fez, indo despido e descalço. Então, disse o Senhor: Assim como Isaías, meu servo, andou três anos despido e descalço, por sinal e prodígio contra o Egito e contra a Etiópia, assim o rei da Assíria levará os presos do Egito e os exilados da Etiópia, tanto moços como velhos, despidos e descalços e com as nádegas descobertas, para vergonha do Egito. Então, se assombrarão os israelitas e se envergonharão por causa dos etíopes, sua esperança, e dos egípcios, sua glória. Os moradores desta região dirão naquele dia: Vede, foi isto que aconteceu àqueles em quem esperávamos e a quem fugimos por socorro, para livrar-nos do rei da Assíria! Como, pois, escaparemos nós?”

Em 711 AC, os Assírios sob Sargom II vieram suprimir uma revolta na cidade filistéia de Asdode (Is 20: 1). Foi aí que a profecia contra o Egito e a Etiópia foi entregue. Por isso, no reinado de Sargom II (722-705 AC), rei da Assíria, Isaías (Is 20: 2-3) passou três anos despido (descalço e com as nádegas descobertas) como uma encenação, um sinal contra o Egito e a Etiópia a respeito da assolação da Assíria, que os levaria presos e exilados; isso traria vergonha a Israel, pois tinha buscado nessas nações o seu socorro contra a Assíria também. Esar-Hadom (681-669 AC) fez uma grande expedição contra o delta egípcio em 672 AC, instalando governadores assírios em Tebas e Mênfis para arrecadar os impostos. Empregou suas forças contra o Egito, Etiópia e Seba. Ele dividiu o Egito em cerca de vinte províncias dominadas por vinte príncipes. Enviou uma força contra Tiraca em 669 AC, mas morreu no caminho. Tiraca foi derrotado em Mênfis por Assurbanipal em 664 AC. Assurbanipal (669-627 AC), no início do seu reinado, guerreou contra o Egito em três árduas campanhas e capturou Tebas (Na 3: 8, ‘Nô’) em 661 AC; seus habitantes foram levados à Assíria, depois de três anos de cerco (Na 3: 8-10). No seu reinado, Assíria adquiriu a maior extensão territorial. A destruição de Tebas (Na 3: 8-10) causou um reflexo na Etiópia, que também veio a cair, cumprindo a profecia de Is 20: 2-6 e provavelmente, Is 18: 1-6. Nem os inúmeros deuses do Egito puderam livrá-los da ira de Deus.

Autora: Pastora Tânia Cristina Giachetti

• Principal fonte de pesquisa: Douglas, J.D., O novo dicionário da bíblia, 2ª ed. 1995, Ed. Vida Nova.
• Fonte de pesquisa para algumas imagens: wikipedia.org e crystalinks.com

Sugestão para download:

tabela de profetas AT

Tabela dos profetas (PDF)

Table about the prophets (PDF)


livro evangélico: Profeta, o mensageiro de Deus

Profeta, o mensageiro de Deus

Prophet, the messenger of God


Este texto se encontra no 1º volume do livro:


livro evangélico: O livro do profeta Isaías

O livro do profeta Isaías vol. 1

O livro do profeta Isaías vol. 2

O livro do profeta Isaías vol. 3

The book of prophet Isaiah vol. 1

The book of prophet Isaiah vol. 2

The book of prophet Isaiah vol. 3

▲ Início  

relacionamentosearaagape@gmail.com