Estudo sobre a ressurreição da filha de Jairo, o chefe da sinagoga que veio a Jesus. Essa ressurreição significa a ressurreição de um sonho, um desejo ou um projeto nosso que não está morto, apenas dormindo, esperando o momento certo para se manifestar.


A ressurreição da filha de Jairo




“Tendo Jesus voltado no barco, para o outro lado, afluiu para ele grande multidão; e ele estava junto do mar. Eis que se chegou a ele um dos principais da sinagoga, chamado Jairo e, vendo-o prostrou-se a seus pés e insistentemente lhe suplicou: Minha filhinha está à morte; vem, impõe as mãos sobre ela, para que seja salva, e viverá. Jesus foi com ele... Falava ele ainda, quando chegaram alguns da casa do chefe da sinagoga, a quem disseram: Tua filha já morreu; por que ainda incomodas o Mestre? Mas Jesus, sem acudir a tais palavras, disse ao chefe da sinagoga: Não temas, crê somente. Contudo, não permitiu que alguém o acompanhasse, senão Pedro e os irmãos Tiago e João. Chegando à casa do chefe da sinagoga, viu Jesus o alvoroço, os que choravam e os que pranteavam muito. Ao entrar, lhes disse: Por que estais em alvoroço e chorais? A criança não está morta, mas dorme. E riam-se dele. Tendo ele, porém, mandado sair a todos, tomou o pai e a mãe da criança e os que vieram com ele e entrou onde ela estava. Tomando-a pela mão, disse: Talitá cumi, que quer dizer: Menina, eu te mando, levanta-te! Imediatamente, a menina se levantou e pôs-se a andar; pois tinha doze anos. Então, ficaram todos sobremaneira admirados. Mas Jesus ordenou-lhes expressamente que ninguém o soubesse; e mandou que dessem de comer à menina” (Mc 5: 21-24; 35-43 cf. Mt 9: 23-26; Lc 8: 49-56).

A história de Jairo (chefe da sinagoga que veio buscar auxílio em Jesus) pode ser dividida em duas partes, por assim dizer, pois a primeira parte veio a tratar com ele, em especial, e a segunda, com a sua filhinha.

Aprendizados

1) Na primeira parte, o tratamento abrangeu a cura emocional e espiritual de Jairo. Como um chefe da sinagoga ele se expôs publicamente mostrando sua fé em Jesus, acima da tradição e dos rituais que conhecia e praticava; além disso, “desafiou” seus companheiros fariseus, saduceus e escribas, pois diante deles assumiu sua crença no Filho de Deus de que Ele seria o único que poderia fazer alguma coisa pela menina que estava à morte. Ele veio e se prostrou aos pés de Jesus como um sinal de humildade, reconhecendo o senhorio do Mestre. O primeiro aprendizado importante nesta primeira etapa é que quando queremos ver um milagre e sabemos exatamente quem é capaz de realizá-lo (Jesus), devemos nos despir de tudo o que é velho, de todo tradicionalismo e preconceito, inclusive da opinião de religiosos que podem achar que o que estamos fazendo é uma loucura. Jairo se expôs diante de todos os judeus, assumindo sua fé em Jesus e passou por cima de todos os obstáculos que pudessem se erguer no seu caminho.


Jairo pede ajuda a Jesus


2) O segundo aprendizado é que, mesmo tendo fé no Senhor, devemos vigiar para que os “enviados de Satanás” não tentem roubar a nossa bênção. Provavelmente, muitos ali estavam “apostando contra” e pensaram que poderiam alcançar seu intento tirando a esperança de Jairo com uma notícia palpável e evidente que era o fato da criança já estar morta. Devemos nos lembrar que quem se interpôs entre o pedido do chefe e a cura da sua filha foi a mulher com fluxo de sangue, que tocou a borda do manto de Jesus e o fez parar por tempo suficiente para curá-la, mas, aparentemente, para retardar a bênção de Jairo. Jesus, com certeza, sabia de tudo o que estava acontecendo e permitiu que houvesse aquela interrupção, não apenas para honrar e beneficiar aquela mulher, como também para mostrar a Jairo mais duas coisas: a) Ele nunca chega atrasado à ocasião alguma e b) Para Deus não há acepção de pessoas. Por ser um homem importante, ele, provavelmente, achou que Jesus o socorreria em primeiro lugar, ao invés de interromper sua história para curar uma desconhecida. Entretanto, o Senhor mostrou a ele que, quando Deus tem um projeto, não há nada que possa impedi-lo de realizá-lo; além do quê, somos todos iguais perante Ele e é Ele que escolhe a prioridade. Naquele momento, a mulher com hemorragia era uma prioridade, por isso Jesus parou para ouvi-la, para honrá-la diante de todos e para dar um tempo a Jairo para repensar sobre muitas coisas. Enquanto pensava, Jesus tirava dele a ansiedade, as falsas esperanças e os medos, aumentando sua fé em Deus da maneira verdadeira e mostrando-lhe que, mesmo com as forças contrárias tentando envergonhá-lo, Ele, Jesus, ainda estava no comando de todas as coisas e que tudo terminaria bem. Podemos imaginar o conflito interior daquele homem ao ver a aparente impossibilidade que tinha diante de si, de saber que só um era capaz de resolver seu problema, todavia, ver-se aparentemente esquecido e desprezado, ainda mais ao receber uma notícia tão ruim como a que os judeus trouxeram a ele. Sua fé e sua esperança, possivelmente, desabaram naquele momento. Foi quando ele deve ter sentido a mão do Senhor puxando-o pelo punho até sua casa, restaurando-as ao dizer: – “Não temas, crê somente”. A bíblia diz que Jesus chamou apenas Seus três discípulos mais chegados, que sempre o seguiam quando o Senhor estava prestes a dar uma grande revelação. Foram com Ele: Pedro, Tiago e João, simbolizando os guerreiros que não se conformam com o mal e com a derrota e que mantêm firme sua fé apesar das aparentes contrariedades. O número três, além de simbolizar a perfeição divina através da Trindade, significa também santidade. Por isso, para os Seus santos, Deus revela Seus milagres.

Na segunda parte da história de Jairo, o Senhor começa a tratar com a incredulidade daquele povo, além de mostrar Seu poder soberano sobre a única força que não podemos vencer, apenas o Filho de Deus, a saber, a morte, com está escrito na bíblia (1 Co 15: 24-26; Ap 1: 18). Neste ponto, Jairo, já trabalhado internamente, é honrado pelo Senhor ao ver a filha morta sendo ressuscitada diante dos seus olhos. Há uma frase importante aqui: – “Por que estais em alvoroço e chorais? A criança não está morta, mas dorme”. O que Jesus nos ensina é que os olhos da carne sempre enxergam a destruição e a derrota, mas os olhos do espírito enxergam a realidade do que Deus pensa a respeito dos projetos e sonhos que Ele mesmo colocou no nosso coração. Quando a bíblia fala de filho, de criança, pode estar se referindo a um sonho, a um desejo e a um projeto nosso. Podemos levar anos para conquistar um sonho, entretanto, quando ele já foi determinado e abençoado por Deus, não há nada que venha matá-lo. Ele pode estar dormindo, esperando o momento certo para se manifestar, mas não morreu. Vamos nos lembrar mais uma vez que a criança tinha doze anos, ou seja, era símbolo de algo que fora escolhido e eleito pelo próprio Deus para um propósito, por isso ela não pereceu. O número doze significa o número da eleição divina, do chamado, portanto, quando nossos sonhos são os sonhos de Deus colocados dentro de nós para um propósito especial, jamais morrerão porque através deles o Senhor vai mostrar Sua soberania e Seu poder entre os homens. Um achado interessante é que “Jairo” é a forma grega do nome hebraico “Jair”, que significa “difusor de luz”. Podemos extrapolar este raciocínio, ligando-o ao anterior e dizendo que a ressurreição da filha de Jairo simboliza a ressurreição dos sonhos de Deus para nós, pois são difusores de luz, isto é, através deles o Senhor mostrará Sua luz aos homens. Outra revelação interessante é que Jesus mandou que dessem de comer à menina. Ninguém sabe qual era a doença que a havia levado à morte, entretanto, era óbvio que precisava, agora, recuperar suas forças. Isso quer dizer que quando o nosso sonho ganha vida pelas mãos de Jesus, Ele nos ordena a lhe darmos comida, ou seja, sustentá-lo com o melhor que temos para que se fortaleça e cresça.

Autora: Pastora Tânia Cristina Giachetti


A ressurreição da filha de Jairo

Este texto se encontra no livro:


livro evangélico: Ensinos, curas e milagres

Ensinos, curas e milagres

Teachings, healings and miracles

▲ Início  

relacionamentosearaagape@gmail.com